Close
Pré-agendar consulta

Agende sua consulta: 16 3285.1816

Ventosaterapia

Desde séculos passados, os povos mais primitivos já procuravam maneiras de curar doenças. Mesmo sem as facilidades que temos hoje em dia, estes povos conseguiam resultados através de recursos da própria natureza.

Visorium - Ventosaterapia

Segundo registros históricos que temos conhecimento, os índios desenvolveram a técnica da ventosaterapia utilizando chifres de animais, os chineses a usavam com bambus e, tempos depois, os europeus desenvolveram a técnica com copos de vidro.

A utilização da Ventosaterapia, integrada com demais instrumentos da Medicina Chinesa, visa eliminar toxinas e retirar estagnações do sangue em determinadas zonas do corpo. Ao ser realizada a sucção da pele e a musculatura para dentro do copo, o vácuo formado estimula a circulação sanguínea e com este processo são liberadas as toxinas existentes do sangue.
O fato de ajudar a retirar estagnações faz com que a ventosaterapia seja utilizada com grande sucesso em casos de dores musculares, lombalgias, artrite, hipertensão, celulite e gordura localizada.

Com aplicação prévia de lubrificante podem obter-se efeitos semelhantes aos das massagens, fazendo deslizar a ventosa numa determinada zona, sendo esta técnica utilizada para ativar a circulação, retirar estagnações, desbloquear energia e melhorar o funcionamento dos órgãos.

A ventosa, segundo a Medicina Tradicional Chinesa, tem a propriedade de limpar o sangue das toxinas acumuladas no organismo produzida pelos alimentos e outras fontes poluentes. A estagnação do sangue, escuro e sujo, nos músculos das costas ou das articulações é considerado pelas Medicinas Orientais como um dos elementos causadores de doenças.

As ventosas podem ser utilizadas em associação com outras terapias reforçando a efetividade destas. Várias ventosas podem ser utilizadas para tratar desordens sobre uma área mais ampla, por exemplo, ao longo de um estiramento muscular ou dispostas em fileiras horizontais e verticais sobre um órgão doente tendo-se o cuidado de não se deixar as ventosas muito próximas umas das outras.

Sua utilização ,mecanicamente, aumenta o fluxo da linfa, reduzindo o edema, mantém a flexibilidade dos músculos, retira as adesões e as fibroses e mobiliza o funcionamento dos órgãos, descongestiona os bloqueios de energia, activa a circulação e o funcionamento geral do corpo.

A aplicação de ventosas é contra-indicada para casos de febre-alta, convulsões ou cólicas, alergias na pele ou inflamações ulceradas, áreas onde o músculo é fino ou a pele não é plana por causa dos ângulos e depressões ósseas, no abdómen e região lombar em gestantes. A aplicação das ventosas deixa frequentemente uma marca púrpura na pele aonde esta foi sugada, isto é normal e vai desaparecer sem tratamento especial. Se a marca for muito profunda, as ventosas não devem ser colocadas de novo nesse local enquanto subsistir a marca.