Close
Pré-agendar consulta

Agende sua consulta: 16 3285.1816

Fitoterapia

A história da Fitoterapia é também a história da medicina. A utilização dos vegetais na prevenção e cura de doenças está registada em toda a História da humanidade: as plantas foram o primeiro medicamento do Homem.

Visorium - Fitoterapia

Há milhares de anos o homem vem reconhecendo que a cura para suas  desarmonias físicas e emocionais podem vir da natureza. A fitoterapia – o nome vem do grego phyton (vegetal) e therapeia (tratamento) – foi documentada através de um manuscrito anterior a 1500 a.C., portanto, de um resquício da civilização egípcia. Nele havia a descrição de centenas de ervas e seus métodos de utilização. Mais tarde, Hipócrates, ‘pai da medicina’, no ano 280 a.C., consagra a existência do procedimento, receitando apenas essa espécie de medicação. Hoje, plantas e ervas são utilizadas nos quatro cantos do mundo para prevenir males e combater doenças.

Na história do Brasil, há registros de que os primeiros médicos portugueses que vieram para cá, diante da escassez na colônia de remédios empregados na Europa, muito cedo foram obrigados a perceber a importância dos remédios de origem vegetal utilizados pelos povos indígenas. Os viajantes sempre se abasteciam deles antes de excursionarem por regiões pouco conhecidas. As grandes navegações trouxeram a descoberta de novos continentes, legando ao mundo moderno um grande arsenal terapêutico de origem vegetal até hoje indispensável à medicina.

Segundo a Portaria 971, de 03/05/2006, do Ministério da Saúde, a fitoterapia é uma terapêutica caracterizada pelo uso de plantas medicinais em suas diferentes formas farmacêuticas, sem a utilização de substâncias ativas isoladas, ainda que de origem vegetal.

Utiliza-se de plantas medicinais ou bioativas, ocidentais e/ou orientais, in natura ou secas, plantadas de forma tradicional, orgânica e/ou biodinâmica, apresentadas como drogas vegetais ou drogas derivadas vegetais, nas suas diferentes formas farmacêuticas, sem a utilização de substâncias ativas isoladas e preparadas de acordo com experiências populares tradicionais ou métodos modernos científicos.

Seus princípios ativos podem ser aproveitados através da infusão de folhas para chás, banhos, ou, preparo para cataplasmas.

As plantas são muito úteis no combate de infecções, insônia, estresse, dores, distúrbios intestinais, distúrbios hormonais, contusões, problemas respiratórios, baixa imunidade, emagrecimento, gripes ou resfriados, e, muitos outros tipos de doenças.

Um dos maiores benefícios da fitoterapia, e motivo pelo qual muitas pessoas têm se interessado pelo tratamento, é a forma natural utilizada para manipular as plantas. O processo utilizado pela fitoterapia é popular, e não farmacológico, o que significa que o produto desta manipulação é livre de elementos sintéticos.

Embora seja comum o uso de plantas como tratamento complementar ou alternativo sem a necessidade de receita médica, é importante consultar um terapeuta experiente no assunto. Algumas plantas podem alterar a pressão arterial das pessoas, prejudicar mulheres grávidas e até provocar danos graves à saúde.

O mau uso das plantas como medicamento para a cura de doenças, também pode implicar no comprometimento do tratamento e credibilidade da terapia. Quando não se obtém o resultado desejado com o uso da fitoterapia, compromete-se o trabalho de terapeutas competentes e dedicados.

Visorium - Fitoterapia

Os fitoterápicos podem ser usados para vários problemas de saúde, exemplos:

Tosse: Guaco

Colesterol alto: Alcachofra

Queimaduras: Babosa

Ansiedade e insônia: Valeriana

Sintomas da TPM: Prímula

Sintomas da pré-menopausa: Isoflavona de soja

Artrite e inflamações: Unha-de-gato

Dor lombar: Garra-do-diabo e Salgueiro

Gases: Espinheira-santa

Prisão de ventre: Cáscara sagrada e Plantago

Depressão: Erva-de-São-João

Todo medicamento, inclusive os fitoterápicos, deve ser usado segundo orientação de um especialista. É claro que dificilmente chega-se a uma overdose de chá de boldo, por exemplo. Mas há ainda muitas plantas cujos efeitos não são bem conhecidos e seu uso indiscriminado pode prejudicar a saúde. Por outro lado, vários estudos científicos comprovam que a fitoterapia pode oferecer soluções eficazes e mais baratas para diversas doenças.